sexta-feira, 11 de outubro de 2013
A partir de hoje, postarei camisas clássicas de minha coleção que, de uma forma ou outra, mexeram com o meu imaginário e, mesmo que indiretamente, fizeram com que eu desejasse iniciar uma coleção.

A primeira delas é a mítica, inigualável e eterna camisa da seleção romena de 1994.

A Copa de 1994 é a minha favorita de todos os tempos. Não foi a primeira Copa que acompanhei, mas foi o auge de meu vício por futebol. À época, eu vivia e respirava futebol basicamente o dia todo. Quando não estava treinando para ser o craque da vizinhança (sem sucesso algum, é verdade, devo ter sido o maior perna de pau dos campinhos de rua do Triângulo Mineiro), eu anotava os resultados de campeonatos do mundo todo em um caderno, ou jogava futebol de botão, muitas das vezes sozinho (tinha o cuidado de simular tudo da maneira mais realista possível, organizando campeonatos, tabelas e perfilando os jogadores para os hinos antes das partidas), ou assistia, claro, os jogos pela TV, com as  narrações clássicas de nomes como Januário de Oliveira e Osmar Santos.

Foi nesse contexto em que aguardei, ansiosamente, o início da Copa de 94. Eu já conhecia bem os jogadores e seleções participantes por conta do Álbum Panini e do guia da Copa da Placar. Mesmo antes do início da competição, a seleção que mais me chamava a atenção era a romena, por conta dos nomes diferentes e pela lembrança da torcida romena na Copa de 90, tremulando as bandeiras com o buraco ao centro, herança da recente queda de Nicolae Ceausescu.

Acompanhei a estreia da seleção romena, e aquele 3x1 contra a badalada Colômbia, tida como uma das favoritas do Mundial e que havia goleado a Argentina nas Eliminatórias, serviu para que eu me entusiasmasse ainda mais com aquela seleção de nomes diferentes, que se tornavam mais conhecidos a cada partida.

No dia em que eu completava 13 anos de idade, a Romênia enfrentava a Argentina e, surpreendendo a todos, mandou nossos vizinhos para casa, naquela que considero a minha partida favorita de todos os tempos.

Dias depois assisti a Romênia ser eliminada pela Suécia na cobrança de pênaltis, mas aquela eliminação não
desfez o meu interesse pela Seleção. Após a copa, tudo o que eu queria era uma camisa da seleção romena. Procurei por todos os cantos, aguentei o olhar estranho dos vendedores nas lojas de esporte de minha cidade e até cheguei a escrever para a Embaixada em Brasília, sem sucesso algum. 

Por isso que, muitos anos depois, não pude conter minha alegria ao finalmente encontrar a mítica camisa de 1994. Inicialmente encontrei o segundo uniforme, já postado aqui. Mas o primeiro uniforme também era um desejo e, quando surgiu a oportunidade, pude adquirí-la, com a personalização de Gica Hagi, o Maradona dos Cárpatos, que serve para valorizar ainda mais essa eterna camisa.




quarta-feira, 18 de setembro de 2013
O Tajiquistão é um país asiático com aproximadamente 8 milhões de habitantes . Era uma das 15 repúblicas da antiga URSS e durante esse período era representado pela seleção soviética, embora jamais um jogador tajique tenha sido convocado para a seleção principal. 

Após a dissolução da União Soviética, o país teve sua própria seleção e a primeira partida da nova equipe foi um empate em 2x2 contra o Uzbequistão, outra ex república. Atualmente ocupa a posição 114 no ranking FIFA.

A camisa abaixo, fabricada pela FBT, foi utilizada pela seleção durante a temporada de 2011:



segunda-feira, 5 de agosto de 2013
Com sede em Arad, na Romênia, o Fotbal Club UTA Arad é um dos maiores vencedores da liga romena, com um total de 6 títulos, ficando atrás apenas dos tradicionais Steaua e Dinamo e do extinto Venus Bucuresti. 

Fundado em 1945,  o clube tem sua origem na indústria têxtil, sendo que o primeiro nome da equipe foi IT Arad (Industriile Textile Arad). 

Apesar do passado glorioso, hoje a equipe disputa a Segunda Divisão romena e luta há várias temporadas para voltar à elite do futebol local.

A camisa abaixo, fabricada pela Saller, foi usada em jogo da temporada 2010-11 por George Marius Ţucudean, hoje no Standard Liège, da Bélgica.





terça-feira, 30 de julho de 2013
28 de abril de 1993: um avião da Força Aérea Zambiana, que levava a seleção de futebol do país para uma partida contra a seleção de Senegal, válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 1994, cai poucos minutos após a decolagem do Aeroporto Internacional de Libreville, no Gabão. Não houve sobreviventes. Entre os mortos, 18 jogadores da seleção nacional, além de toda comissão técnica. 

12 de fevereiro de 2012: 19 anos depois, na mesma Libreville, que vitimara aquela que foi a melhor seleção da historia do país, a Zâmbia conquista a Copa Africana de Nações pela primeira vez, após uma partida final sem gols contra a favorita Costa do Marfim e uma emocionante disputa de pênaltis. 

A seleção da Zâmbia sempre foi uma de  minhas favoritas no continente africano. A camisa da equipe, antes da conquista da Copa Africana de Nações, era extremamente rara. Após isso, ela  era encontrada em alguns sites, como Subside Sports. Mas atenção: 99% das camisas encontradas no Brasil, sobretudo no Mercado Livre, são camisas piratas vendidas em sites como Aliexpress por 20 dólares e revendida por 3 vezes mais no Brasil. Como essas falsificações estão se tornando muito fiéis às originais, muitos compram e sequer percebem que não se trata de uma camisa original.

A camisa abaixo é exatamente o modelo mais vendido, com que a seleção conquistou a CAN 2012:






quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013
Andorra é um pequeno país europeu situado entre a Espanha e a França. Com pouco mais de 70 mil habitantes é, naturalmente, uma das equipes mais fracas das nações européias e frequentemente o "saco de pancadas" do grupo, seja nas eliminatórias da Euro ou Copa do Mundo. Nas eliminatórias da Copa 2014, a seleção de Andorra está no Grupo D, juntamente com Holanda, Hungria, Romênia, Turquia e Estônia. Perdeu as 4 partidas que já disputou, sofrendo 13 gols e não marcando nenhum. A camisa abaixo, fabricada pela Diadora, é o modelo utilizado em 2005. É uma camisa usada em jogo, uma vez que as réplicas oficiais são praticamente inexistentes:

 
segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013
No início desse ano, o Mali vem sendo notícia quase diária nos noticiários do mundo todo, devido à mais grave crise política desde sua independência, em 1960. No dia 16 de janeiro de 2013, um grupo ligado à Al-Qaeda sequestou 150 argelinos e 40 estrangeiros no campo de gás In Amenas, no leste da Argélia. O sequestro era uma represália contra o suposto apoio da Argélia à intervenção militar francesa no Mali, que visava expulsar as milícias radicais islâmicas do país.

Enquanto o país vive essa crise sem precedentes, a seleção nacional de futebol tem feito uma excelente campanha na Copa Africana de Nações, onde disputará a semifinal da competição contra a Nigéria na próxima quarta-feira. Se passar, a seleção do Mali fará a segunda final africana de sua história (a primeira foi em 1973, quando perderam o título para a seleção do Congo).

A camisa da seleção de Mali abaixo é o modelo utiilizado em 2007. A Airness ainda hoje veste a equipe:

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013
O Shimizu S Pulse é um clube japonês, com sede em Shizuoka. Formada em 1991, a equipe é uma das mais jovens da J-League. As suas conquistas mais expressivas foram a J League Cup, em 1996, e a Emperor's Cup, em 2001. A camisa da equipe possui um template único, contendo um mapa de parte da Ásia. Não sei ao certo a temporada, mas talvez seja de 2000 ou 2001:
Twitter Orkut Facebook Digg Favorites Mais

Busca

Carregando...
Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Visitantes

free counters

Blogger news